8 de março de 2007

(amadurecimento)

Era no tempo em que as feridas lhe cicatrizavam sem dificuldade e a deformação dos ossos não era visível a partir do exterior. Era no tempo em que o colesterol estava controlado e a miopia estabilizara há muito. Era no tempo em que os pequenos problemas se transformavam em curiosidades e os grandes lhe começavam a tirar o sono. Era no tempo em que na memória saudades e rancores lutavam por espaço igual.
Era no tempo em que as desilusões eram cada vez menos frequentes e mais definitivas.

1 comentário:

cb disse...

Como quando a mãe morre?