30 de maio de 2007

altura

da guerra como se de um pic-nic de verão, a ganhar bolor debaixo do sofá da sala, a partilhar albuns desbotados com o casamento da prima

- já viste estes penteados?

e as mamas da preta, o sorriso do capitão, o altar da igreja, os sapatos do padrinho, os tijolos dos turras, as bocas de sino, a coluna na picada, o carro da noiva, a mina desmontada e os acepipes na mesa.
A guerra a preto e branco, a esboroar-se nos cantos e qualquer dia quase nada, ninguém se lembra, afinal não houve não foi nada já passou

- usava-se assim, na altura.

1 comentário:

cb disse...

conte, conte!