9 de outubro de 2006

curral


Rasga-me as carnes
como se foram placas de gelo
Enlameia-me a garganta
como se fora a neve derretida
Quebra-me a espinha
como se fora um tronco seco
Penetra-me sôfrego
como se foras um cão
que eu branca cá dentro
voarei como só os pássaros
pretos que me pareceram
abutres que me pareceu
rirem-se da europa civilizada

1 comentário:

Dagarman disse...

Escreves bem, gostei do blog, voltarei mais vezes ;)